sábado, março 03, 2012

Ensaio um Poema

Ensaio um poema
onde as águas de março
levam longe a poeira
das ruas.

Os versos não guardam
o ódio dos homens.

Com fitas azuis,
belas mulheres
bordam o mar.

Carrega o vento,
as cores do chão.
Traçam promessas
feitas em vão.

Falam as roupas
num tempo de missas
rezadas no muro.

Pessoas apressadas
assobiam no escuro.

Lambem as pernas,
pedras lavradas,
ossos molhados
e duros.

Ensaio um poema
de óculos escuros.

Cortadas na chuva,
renascem as árvores
num solo impuro.

3 comentários:

luz efemera disse...

Vim visitar o seu blogue e gostei. Parabéns!

Abraço

luz efemera disse...

Vim visitar o seu blogue e gostei. Parabéns!

Abraço

Karinna* disse...

*Um 'ensaio' fascinante.
Gosto da sonoridade da tua escrita, a mescla do sensório e do sentimento...
Mui lindo.
Carinho e admiração
Karinna*