segunda-feira, maio 26, 2008

"Rastejar é humano".Disse o poeta gaúcho,conhecido pelo pseudônimo Condessa Lilith. Faz séculos que experimentamos as agruras das lutas pela liberdade de ser e dizer. Imbecil é aquele que se acha livre para gritar os nomes do amor e da liberdade. Ironicamente ou freudianamente, digo:Somos livres quando sonhamos. Somos nada quando dormimos.
Passamos a vida inteira para construir nossa indentidade e diante dos confrontos entre as diferenças, percebemos que a sociedade permanece ainda reticente às mudanças, alinhando comportamentos e classificando-nos como homens e mulheres.
Na verdade, são conceitos criados e desenvolvidos ao longo dos milênios, pelas instituições religiosas,sociais e filosóficas.Segundo estudiosos, o homem e a mulher biologicamente, possuem diferenças sutis. A partir de Freud, a mulher passou a ser vista na sociedade como um ser humano, com todo o direito à participação na família e nas decisões polícas.E ainda, Freud disse, que há diversidade na erotização do corpo e nas variantes no desejo.

Um comentário:

nathanael disse...

Querido amigo ... fico muito honrado em ver q citou uma frase minha no teu blog ... que a poesia continue unindo as pessoas ...


um abraço fraterno
CONDESSA LILITH