sábado, janeiro 30, 2010

Gentilezas (Para Ana Cristina Cezar)


Para Ana,
ondas no aquário,
o mar, os peixes,
o mundo dourado.

Para Cristina,
árvores, laços, sedas,
vestidos bordados.

Em cores,
anos gelados.
Em cena:
fotografias,
poemas,retalhos.

No calor das manhãs,
porcelanas imperiais,
musse de manga,
colheres de prata.

Para Cezar,
flores, cristais,
olhos acesos
no azul da sala.

2 comentários:

Isabelle D'avila disse...

Gentilezas, sutilezas... mesmo assim Ana nos comprova a "insustentável leveza do ser".
Belo poema!

Conversa disse...

Belo, belo poema... Salve, Ana, Cristina, Cesar, Salve!